Vale a pena comprar um imóvel em 2019?

By On
comprar imóvel

Você é daqueles que sonha com a casa própria, mas só se imagina na situação acima em um futuro distante? Então este post é para você que deseja comprar um imóvel! O momento de realizar o seu sonho é agora!

Com o otimismo da chegada do novo governo e a perspectiva de melhora dos níveis de emprego e renda, 2019 tem tudo para ser o ano ideal para quem quer comprar um imóvel.

O economista e professor da PUC do Rio Grande do Sul, Alfredo Meneghetti Neto, em entrevista dada ao Finance News afirma, juntamente com outros economistas, que a conjuntura favorável vai além das gestões atuais e da melhora do emprego e renda, já que neste ano contamos também com uma inflação na meta.

O reaquecimento da economia após uma das piores recessões do Brasil vem acompanhado de uma pequena melhora no preço dos imóveis, sugerindo mais uma vez que o momento da compra chegou.

Situação atual do Brasil

Primeiramente, antes de entrarmos a fundo no assunto, é preciso que se faça uma breve análise do presente contexto do país.

O cenário atual marcado por uma lenta diminuição do nível de desemprego, ainda não possui força suficiente para um impacto tão significativo no preço dos imóveis. Vai levar um tempo para que o crescimento da procura pressione os preços a ponto de haver uma grande alta.

Outro fato animador se refere à estabilidade dos juros durante o ano de 2019. Devido à inflação na meta, conforme citado pelo professor e economista Alfredo Neto, a possibilidade de não ocorrer pressões na taxa básica de juros (Selic) é alta.

Além disso, será, também, um ano mais fácil para aqueles que visam fazer maiores e melhores financiamentos nos bancos. Segundo Marcelo Prata, fundador do site Canal do Crédito, “com a percepção de risco menor, é natural que as instituições sejam mais flexíveis na oferta de crédito”, como informou à revista Exame.

Observando o ambiente na prática

A situação já está sendo comprovada na prática. A diretora comercial da Plataforma de Imóveis Benvenuto, Flávia Mata Machado, nos deu um depoimento sobre as vendas deste ano, as quais confirmam a melhora do contexto fatual.

Segundo ela, a startup Benvenuto, focada em imóveis de Belo Horizonte e região, fechou o primeiro trimestre muito otimista, superando o número de unidades vendidas em comparação ao mesmo período do ano passado.

“Acredito que a grande oferta de imóveis e a então estabilidade dos preços tenha contribuído para este cenário mais positivo”.

Mas o que devo fazer antes de comprar um imóvel?

Como abordado anteriormente, o momento propício para a compra da tão sonhado casa/apartamento, com um preço mais em conta, é agora.

Porém, para que isso ocorra, é fundamental tomar algumas decisões antes de efetivar a aquisição do imóvel:

  • pagar as dívidas;
  • cortas gastos extras;
  • poupar renda mensal; e
  • pesquisar bastante

Estes fatores destacados pelo site da VIC Engenharia são de extrema importância para o momento pré-compra e por isso, iremos explicá-los melhor no decorrer deste artigo.

Pagar as dívidas

Devido à dificuldade de se comprar um imóvel à vista, a saída mais comum para este tipo de situação é o financiamento, mas para isso, é inevitável não dedicar vários anos da sua vida pagando as parcelas desta operação.

Logo, é recomendável que se quite toda e qualquer dívida anterior ao financiamento, para que no fim, não se tenha um acúmulo de débito.

Cortar gastos extras e poupar renda mensal

pagar as dívidas, cortar gastos, poupar renda mensal

Vai ser preciso abrir mão de gastos supérfluos e cortar gastos que não são de extrema necessidade no momento.

Será necessário economizar ao máximo, uma vez que 25 a 30% da sua renda mensal será destinada ao pagamento das parcelas do financiamento.

A ideia principal é focar na prioridade: pagar o imóvel, e desta maneira, no final do mês, ninguém terá dor de cabeça na hora de quitar a parcela.

Pesquisar bastante para comprar um imóvel

O interessante neste momento é escolher uma imobiliária ou uma construtora de sua confiança para realizar a compra do imóvel.

A escolha deve ser feita através de uma pesquisa sobre qual empresa oferece os melhores benefícios e atendimentos no mercado.

E, principalmente, deve-se fazer, também, uma análise do ambiente em que se está comprando o imóvel, além de verificar se todas as suas necessidades e pré-requisitos estão sendo atingidos com a compra.

Alguns pontos comuns que os clientes normalmente levam em consideração são:

  • “o bairro atende aos quesitos que estou procurando?”;
  • “eu me vejo morando neste local daqui alguns anos?”;
  • “é um local seguro e de fácil acesso?”;
  • “o prédio/condomínio tem tudo que preciso?”

Uma dica é sempre destacar os prós e os contras dentre as opções de imóveis priorizadas.

Mas tudo vai depender das suas exigências e preferências! Não deixe de pensar nisso… essa segunda análise faz parte do empreendimento, afinal não é todo dia que se compra um imóvel.

Leia mais sobre 7 dicas para você escolher a construtora correta

Qual a forma de investimento mais usual ao se comprar um imóvel?

Esta é uma pergunta recorrente no dia-a-dia de quem trabalha com venda de imóveis.

E, com certeza, a resposta é o financiamento. Independentemente do padrão dos imóveis vendidos pela imobiliária/construtora, esta é a forma mais procurada pelos clientes.

Entretanto, algumas questões relevantes sobre este tipo de investimento deixam os compradores na dúvida.

As dificuldades normalmente se encontram na porcentagem que pode ser financiada e quais os imóveis entram neste investimento.

Primeiramente, os bancos, no Brasil, financiam de 70 a, no máximo, 80% do valor total do imóvel e somente aqueles que possuem o documento “habite-se” – casas ou apartamentos aptos para moradia.

Ou seja, não há a possibilidade de se financiar imóveis na planta, uma vez que estes ainda não possuem o “habite-se”. Portanto, nestes casos, o financiamento fica à critério das construtoras.

Conclusão

Este post diz respeito ao cenário favorável do ano de 2019 para a aquisição de imóveis.

O governo vigente está colaborando para estabilidade dos preços dos imóveis e dos juros (inflação na meta) – consequência da redução do número de desempregados, e a facilidade de financiamento nos bancos.

Levando em conta todos estes fatores, a oportunidade de você fechar 2019 de casa nova é agora!

Acesse Benvenuto e agende já a sua visita aos melhores imóveis de Belo Horizonte e região com um atendimento diferenciado.

Esperamos por você!

 

Deixe uma resposta