Você acredita que a bolha imobiliária está chegando? Já chegou? Muitos acreditam que a Copa do Mundo poderá ser o ponto de virada para a famosa bolha aparecer.

O “boom” no valor dos imóveis, que para especialistas estava propício ao aumento durante a Copa do Mundo, não se concretizou. “A inflação imobiliária que era dada como certa não passou de especulação e os preços estão estagnados”, diz o empresário e arquiteto urbanista Luiz Augusto de Castro. Os turistas que eram esperados para o evento, não estão dispostos a gastar com hospedagens superfaturadas e buscam alternativas. Para quem decidiu comprar um imóvel nas cidades-sedes da Copa faz bom negócio durante a competição. Com a baixa procura os preços não conseguiram se manter devido as especulações, porém o momento é promissor para locação com preços justos.

O que acontece é uma “farofa” em virtude da festa da Copa. Os “gringos” que vieram assistir ao mundial não estão interessados em luxo, até porque a cultura brasileira não é essa. O que realmente importa são as diversidades que o país oferece, as festas atípicas, a musicalidade; de fato o que une o povo. Em decorrência disso, a inflação dos imóveis para locação, apostada pelos proprietários, não se realizou. Com o evento acontecendo e não vingando o lucro esperado, os proprietários de imóveis tiveram que readaptar seus valores, e para os estrangeiros ansiosos, alternativas não faltaram.

Uma das opções são as estadias em hostels, onde os clientes alugam os quartos e sublocam as camas por um preço acessível. No Rio de Janeiro, os barracos foram reformados para locação, proporcionando conforto e qualidade com valores consideráveis. Outra alternativa que os estrangeiros da America Latina buscaram, foi vir para o Brasil com seus próprios veículos ou trailers e fazê-los de dormitório, arcando apenas com estacionamento se necessário.

É do conhecimento de todos que o mercado esta passando por uma desaceleração de valorização – que é um cenário que vai além da Copa – porém são através dessas dificuldades que surgem as grandes oportunidades de negócios, que matem o mercado sempre aquecido.

Para Luiz Augusto de Castro, “Talvez nunca estivemos entrando num momento tão interessante e favorável no mercado imobiliário, principalmente nas grandes cidades para o fim de uma situação que jamais em toda história irá continuar.” Indícios que confirmaram esse fato foram divulgados nesse mês pela Fipe (Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas), o valor médio do m² anunciado no Brasil desacelerou novamente em maio, pelo sexto mês consecutivo. Agora com o ajuste nos preços dos imóveis o momento é propício para negociação.

Fonte: O TEMPO

como-decorar-nossa-casa-para-copa-do-mundo-2014

Deixe uma resposta

Tags

Sobre o autor

Rafael Milagre

Twitter Facebook Email Website

CEO da Benvenuto. Real Estate company in Brazil. Apaixonado por empreender e buscando revolucionar o mercado imobiliário www.benvenuto.com.br